top of page

Sensibilização central na dor crônica


sensibilização-central

A dor é uma sensação desagradável que pode ser causada por uma variedade de fatores, incluindo danos aos tecidos, doenças crônicas e condições neurológicas. A dor crônica é uma dor que dura mais de seis meses e pode ter um impacto significativo na qualidade de vida.


Um dos mecanismos que contribuem para a dor crônica é a sensibilização central. A sensibilização central é uma alteração no sistema nervoso central (SNC) que leva a uma maior sensibilidade à dor. Isso pode acontecer em resposta a uma lesão, doença ou condição neurológica.


A sensibilização central pode ocorrer em várias partes do SNC, incluindo a medula espinhal e o cérebro. Quando a sensibilização central ocorre, os neurônios da dor ficam mais excitáveis. Isso significa que eles são mais propensos a serem ativados por estímulos que normalmente não causariam dor.


Mecanismos da sensibilização central


Os mecanismos da sensibilização central ainda não são totalmente compreendidos. No entanto, acredita-se que vários fatores contribuam para esse processo, incluindo:


Liberação de neurotransmissores: A liberação de neurotransmissores, como a substância P e a glutamato, pode aumentar a excitabilidade dos neurônios da dor.


Alterações na plasticidade neuronal: A plasticidade neuronal é a capacidade dos neurônios de se adaptarem ao seu ambiente. A sensibilização central pode ser causada por alterações na plasticidade neuronal que levam a um aumento da sensibilidade dos neurônios da dor.


Alterações no sistema imunológico: O sistema imunológico também pode desempenhar um papel na sensibilização central. A inflamação pode aumentar a excitabilidade dos neurônios da dor.


Sinais e sintomas da sensibilização central


Os sinais e sintomas da sensibilização central podem variar dependendo da causa subjacente. No entanto, alguns sinais e sintomas comuns incluem:


Dor mais intensa e de longa duração: A dor pode ser mais intensa e durar mais tempo do que o esperado.


Dor referida: A dor pode ser sentida em áreas distantes da lesão ou condição subjacente.


Hiperalgesia: A dor pode ser desencadeada por estímulos que normalmente não causariam dor.


Alodinia: A dor pode ser sentida em resposta a estímulos que normalmente não são dolorosos.


Diagnóstico da sensibilização central


O diagnóstico da sensibilização central pode ser desafiador. Não há um teste específico para diagnosticar a sensibilização central. O diagnóstico geralmente é feito com base nos sinais e sintomas do paciente, bem como na história médica e nos resultados de exames físicos e de imagem.


Tratamento da sensibilização central


Não há cura para a sensibilização central. No entanto, existem tratamentos que podem ajudar a controlar a dor e melhorar a qualidade de vida. Os tratamentos para a sensibilização central incluem:


Medicamentos: Os medicamentos podem ajudar a reduzir a dor e a inflamação. Os medicamentos comumente usados para a sensibilização central incluem analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e antidepressivos tricíclicos.


Terapia: A terapia pode ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade, que podem piorar a dor. Os tipos de terapia comumente usados para a sensibilização central incluem terapia cognitivo-comportamental (TCC) e terapia de relaxamento.


Intervenções não farmacológicas: As intervenções não farmacológicas, como exercícios, acupuntura e estimulação nervosa transcutânea (TENS), também podem ajudar a controlar a dor.


Consequências da sensibilização central


A sensibilização central pode ter uma série de consequências negativas, incluindo:


Dificuldade para realizar atividades diárias: A dor pode dificultar a realização de atividades diárias, como trabalhar, cuidar da casa e se relacionar com os outros.


Depressão e ansiedade: A dor crônica pode levar à depressão e à ansiedade.


Prevenção e Conscientização


Infelizmente, não existe uma maneira infalível de prevenir a sensibilização central. No entanto, o tratamento precoce de lesões e doenças pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento dessa condição complexa. A conscientização sobre a sensibilização central é crucial, tanto para profissionais de saúde quanto para o público em geral, a fim de promover diagnósticos precisos e abordagens de tratamento eficazes.

Comentarios


bottom of page