top of page

Síndrome da dor trocantérica: o que é, causas, sintomas e tratamento


Síndrome da Dor Trocantérica

A Síndrome da Dor Trocantérica (SDT) é uma condição prevalente caracterizada por dor persistente na região lateral do quadril, agravada durante a mobilização. Ela é amplamente reconhecida como uma das causas mais comuns de desconforto no quadril em adultos, afetando, em sua maioria, mulheres na faixa etária de meia-idade.


Definição da Síndrome da Dor Trocantérica


A SDT resulta da inflamação ou irritação dos tendões dos músculos glúteos médio e mínimo, responsáveis pela estabilização do quadril. Estes tendões passam pelo trocânter maior, uma proeminência óssea localizada na parte lateral do quadril. Quando ocorre inflamação ou irritação desses tendões, manifestam-se sintomas como dor, sensibilidade e rigidez na região lateral do quadril.


Causas Subjacentes da Síndrome da Dor Trocantérica


As origens exatas da SDT não são completamente compreendidas, embora sejam consideradas multifatoriais. Algumas influências que podem contribuir para o desenvolvimento desta síndrome incluem:


Fatores Biomecânicos: Desvios musculares, anormalidades na marcha ou postura e sobrecarga no quadril podem aumentar o estresse sobre os tendões dos músculos glúteos.


Fatores Hormonais: A SDT é mais prevalente em mulheres, possivelmente devido a alterações hormonais durante a menopausa.


Fatores de Risco: Idade avançada, excesso de peso, inatividade física e histórico familiar da síndrome também são elementos que aumentam o risco de desenvolvimento da condição.


Sintomas Característicos da SDT


O sintoma mais comum associado à SDT é a dor na região lateral do quadril.

Esta dor é frequentemente descrita como aguda, pontual ou latejante, tornando-se mais intensa durante atividades que envolvem o movimento do quadril, como caminhar, subir ou descer escadas e sentar-se. Em alguns casos, a dor pode irradiar para a parte posterior da coxa ou da perna.


Outros sintomas frequentemente observados na SDT abrangem:


· Sensibilidade na região lateral do quadril.

· Rigidez no quadril.

· Dificuldade em andar ou subir escadas.

· Dor ao permanecer sentado.


Diagnóstico e Tratamento


O diagnóstico da SDT é realizado por profissionais da saúde, como médicos ou fisioterapeutas, mediante um exame físico detalhado para avaliar a dor e sensibilidade na região lateral do quadril. Em alguns casos, exames de imagem, como raio-X, ultrassonografia ou ressonância magnética, podem ser solicitados para descartar outras causas possíveis de dor no quadril.


O tratamento da SDT, em grande parte dos casos, é conservador e visa principalmente a redução da inflamação e da dor.


As abordagens terapêuticas podem abranger:


Repouso: Aconselha-se ao paciente evitar atividades que exacerbem a dor.


Crioterapia (Gelo): O uso de gelo é recomendado para reduzir a inflamação e aliviar a dor.


Compressão: A aplicação de compressas auxilia na diminuição do inchaço.


Elevação: Elevar a região do quadril pode contribuir para a redução do inchaço.


Medicamentos: Analgésicos e anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) podem ser prescritos para controlar a dor e a inflamação.


Fisioterapia: A fisioterapia desempenha um papel crucial no tratamento da SDT, abrangendo o ensino de exercícios para fortalecer os músculos do quadril e melhorar a amplitude de movimento.


Cirurgia: Embora rara, a cirurgia pode ser considerada nos casos em que a SDT não responda ao tratamento conservador.


Prevenção


Não existe uma estratégia infalível para prevenir a SDT, entretanto, algumas ações podem contribuir para a redução do risco, incluindo:

· Manter um peso corporal saudável.

· Fortalecer os músculos do quadril.

· Aumentar a flexibilidade.

· Evitar atividades que exacerbam a dor.


Conclusão


A Síndrome da Dor Trocantérica é uma condição comum que pode causar dor e limitar a mobilidade. O tratamento predominante é conservador, priorizando a redução da inflamação e dor, com a fisioterapia desempenhando um papel central na recuperação da força e amplitude de movimento do quadril. É fundamental que indivíduos com suspeita de SDT busquem orientação médica ou fisioterapêutica adequada para o diagnóstico e tratamento eficazes da síndrome.

Comments


bottom of page